Paraíso no Atlântico

As ilhas Selvagens foram consideradas o ecossistema mais intacto do Atlântico.

 

Santuário de milhares de aves marinhas, sobretudo Cagarras e Calcamares, as ilhas Selvagens, extremo sul do Arquipélago da Madeira e de Portugal, foram consideradas o ecossistema «mais intacto» do Atlântico, segundo um estudo da 'National Geographic' realizado entre 2015 e 2016.

De acordo com a Fundação Oceano Azul, que participou, em 2015, na expedição "Pristine Seas", organizada pela 'National Geographic', «as ilhas Selvagens destacam-se pela natureza intacta que apresentam». O projeto avaliou o estado do meio marinho e encontrou nesta reserva natural um ecossistema «vibrante, equilibrado e com uma enorme diversidade de fauna e flora».

Segundo os investigadores, a Reserva Natural das Selvagens poderá servir de exemplo sobre como proteger um dos «últimos redutos selvagens do planeta» antes que seja «demasiado tarde» e, por outro lado, pode permitir a recuperação de espécies alvo de pesca e que se encontram com problemas de sustentabilidade.

São duas ilhas localizadas a 300 quilómetros a sul da Madeira. A Selvagem Pequena é completamente desabitada. Na Selvagem Grande habitam Vigilantes da Natureza e elementos da Polícia Marítima, em regime de comissão de serviço. Nesta ilha existe também uma residência privada, propriedade de uma família da Madeira. São a mais antiga reserva natural de Portugal, desde 1971.