Apelo aos sentidos

Mais do que um ano, 1811 é um espaço pensado para a gastronomia, que combina a excelência da comida com a elegância do vinho.

 

A porta de madeira tem o peso dos séculos. Mas a sala que revela é decorada com uma simplicidade pragmática. Um curto olhar em redor permite perceber do que se trata: queijos, enchidos e sobretudo vinho.

Este “não é um bar de vinhos, mas tem vinhos”. A expressão é usada por Roberto Caldeira para tentar descrever o conceito do 1811. É um Bistro e Wine Bar, mas o responsável por este novo projeto esforça-se por passar a mensagem de que é um lugar diferente, com uma oferta diferente.

O vinho é transversal e a base do conceito. O 1811 ocupa uma parte das Adegas de São Francisco, as caves da Blandy’s Madeira, uma das mais importantes produtoras do vinho generoso que leva o nome desta ilha.

Os taninos quase sentem-se no ar, impregnados nas traves de madeira centenária do antigo convento e nas pipas onde o Vinho Madeira envelhece sem pressa. Só que no 1811, as garrafas de vinhos trepam as paredes e estão arrumadas em todos os recantos, afinal são mais de 250 referências portuguesas, de todas as regiões, além de vinho de outros países e mais de 40 Madeira, alguns dos quais bastante raros. Não faltam os espumantes portugueses, cada vez mais famosos e diversas marcas de champanhe.

Quase uma centena destas opções pode ser consumida a copo. E isso até pode dar o mote para uma experiência de degustação envolvendo comida, que é uma das apostas que faz a diferença. Há muita coisa para provar. Começando pelas tapas, pensadas para a partilha com os amigos à volta de uma mesa, com um bom copo de vinho. Uma alheira à brás, um peixe-espada-preto com molho de caril, ou um tataki de bife black angus fumado em aduelas das pipas de Vinho Madeira. Também há opções vegetarianas como o crepe com rúcula e redução de laranja.

Existem também opções mais robustas que passam por bifes, vários queijos e charcutaria portuguesa, em que todos os produtos são oriundos de regiões com Denominação de Origem Protegida. Pode encontrar o queijo de São Jorge ou a charcutaria de porco bísaro, que podem abrir o apetite num menu de degustação combinado com serviço de vinhos, que vai desde as escolhas ao aconselhamento por parte da equipa.

Ao almoço funciona uma opção de serviço rápido, prevista para 30 minutos. Ao jantar vale a pena ter tempo e aproveitar as delícias da gastronomia, numa sala antiga com um ambiente acolhedor. O ano que dá nome ao Bistro e Wine Bar assinala a chegada do primeiro elemento da família Blandy a se estabelecer na Madeira. No 1811 o peso histórico fica à porta. O espaço é moderno, descontraído, sofisticado e informal.

Oferece um conjunto completo, feito de sensações gastronómicas variadas, com uma comida interessante e bebida de eleição. Integra um espaço de tradição para o Vinho Madeira mas oferece muito mais do que isso. É um lugar pensado para as sensações, para o prazer de apreciar a comida, para a oportunidade de provar alguns dos melhores produtos e vinhos portugueses e não só.

Mesmo se não for associado à comida, beber um vinho a copo é um bom pretexto para deixar-se ficar, apreciando a luz de fim de tarde e o movimento tranquilo do jardim Municipal do Funchal. O 1811 apela aos sentidos.