Shaping the future

A nova vida da Alfa Romeo começa aqui. O Giulia reacende a chama do design italiano no segmento executivo e lança a marca para as próximas décadas.

 

Alfa Romeo é uma marca de automóveis como nenhuma outra. Em tempos, no período imediatamente antes e após a 2ª Guerra Mundial, o seu prestígio era de tal forma significativo que dizer que a Alfa era a Ferrari desse tempo não é descabido.

Pilotos como Tazio Nuvolari e Alberto Ascari acumulavam vitórias e títulos desportivos para a marca e os carros de estrada eram vistos como os mais belos do mundo, destinados àqueles para quem a paixão pelos automóveis faz o coração bater mais depressa.

Ao longo de mais de um século de existência – 106 para ser exato – a Alfa Romeo criou alguns dos mais apaixonantes automóveis que o mundo já viu. Carros como o Tipo 158 e 159 Alfetta, que se sagraram campeões do mundo de Fórmula 1, o Tipo 33 Stradale, para muitos o mais belo exemplar de sempre, o Giulia GTA, que venceu inúmeros campeonatos de turismo, ou o mais recente 8C Competizione, servem de prova de como a história e a riqueza da Alfa Romeo são únicas e merecem ser perpetuadas em novos modelos que façam justiça ao seu magnífico passado.

A paixão que sempre viveu de mãos dadas com a Alfa Romeo foi, na realidade, o que garantiu que o tempo e uma série de decisões erradas, que se traduziram em modelos abaixo do que era esperado nas últimas décadas, não fossem suficientes para apagá-la do mapa.

Há muitos anos que os Alfistas esperavam um automóvel digno de carregar sobre os ombros o peso histórico da marca e, finalmente, ele tem um nome: Giulia. Um Alfa Romeo a sério, feito para os verdadeiros Alfistas, mas também para aqueles que querem libertar-se de uma hegemonia alemã no segmento premium que tem ameaçado deixar o mercado sem alternativas credíveis e interessantes.

O novo Giulia evoca um nome do passado mas indica o futuro a seguir pela Alfa – um futuro que tem tudo para ser relevante outra vez. O Giulia é um automóvel desenvolvido segundo os mais avançados processos de engenharia atuais, oferece as últimas inovações tecnológicas em termos de segurança, eficiência e infotainment e traz consigo a magia do design italiano e uma herança estilística que nenhuma outra marca de automóveis tem.

A versão mais espetacular é a Quadrifoglio, equipada com um motor V6 turbo feito em parceria com a Ferrari, que com os seus 2.9 litros de capacidade produz 510 cavalos de potência e atinge os 100km/h em 3.9 segundos. Um verda deiro supercarro de família, o Giulia Quadrifoglio tem ganho o coração dos especialistas e deixado os Alfistas com água na boca.

Claro que nem todos poderão conduzir um Quadrifoglio no dia a dia e, para esses, a Alfa Romeo apresentou este mês de outubro, no Salão de Paris, uma variante Veloce, equipada com um 2 litros turbo a gasolina de 280 cavalos ou um 2.2 litros turbodiesel de 210 cavalos. Lindo de morrer, o Giulia Veloce deverá tornarse a escolha certa para quem quer um Alfa Romeo para as tarefas do quotidiano que possa, ainda assim, acelerar o ritmo cardíaco. A tração integral de série garante performances incríveis e uma segurança em todo o tipo de pisos e condições atmosféricas.

Na entrada da gama conta-se ainda um 2.2 diesel de 180 ou 150 cavalos e diversas possibilidades de personalização em termos de cores, acabamentos ou opcionais relacionados com entretenimento a bordo, performance e segurança e uma escolha importante entre uma nova transmissão manual de seis velocidades ou auto mática de oito relações.

O Giulia inaugura uma nova era para a Alfa Romeo e a sua importância não deve ser minimizada, nem pela marca, nem pelo mercado. As primeiras impressões são extremamente positivas: o Giulia tem os motores, a qualidade e a estética para cativar quem nunca esqueceu a Alfa e juntar a esses toda uma nova geração de seguidores do mais puro cuore sportivo italiano.