Perfeita imperfeição

Marco Bicego, criador e designer da joalheira italiana homónima, faz um balanço dos 15 anos à frente da marca.

bicego1

 

Quando o sonho e a paixão falam mais alto, o resultado só pode ser positivo. Foi no início de 2000 que Marco Bicego reinventou o negócio familiar de venda de joias, já com 50 anos, e criou a sua própria marca. Batizou-a com o seu nome e reinterpretou a joalharia combinando tradição e contemporaneidade de uma forma sui generis.

“A joalharia sempre fez parte dos negócios de família e para mim esta tendência surgiu naturalmente.Porém, nunca pensei que o meu futuro também passasse pelo design de joias”, revela, em entrevista à Essential Madeira, Marco Bicego, CEO e designer da marca.

O ouro é um dos seus principais aliados na altura de criar, assim como as pedras preciosas e semipreciosas, cujo fascínio foi-lhe passado pelo pai. “O ouro sempre fez parte do meu ADN e do ADN da empresa (...) Quando lancei a marca em 2000, percebi que criar uma marca de joalharia não seria suficiente.Teríamos que pensar no marketing, na distribuição, etc.. Era importante passar os valores da marca aos consumidores.”

Hoje, Marco Bicego é um nome de referência a nível internacional destacando-se, acima de tudo, pela conservação de antigas técnicas artesanais na criação das suas jóias - como é o caso da gravação a buril, que confere ao metal um aspeto acetinado, protegendo-o de mossas, ou da técnica “corda de guitarra”, um movimento m anual especial que cria um aspeto ondulado e se tornou a imagem de marca da Marco Bicego.

 

Intemporalidade e versatilidade são outras características associadas à casa. “O nosso principal objetivo é criar joalharia intemporal. Não gosto de criar joalharia tendo em conta tendências ou modas porque quando compramos uma peça, compramo-la para assinalar momentos especiais. O ouro tem valor económico, mas mais do que isso tem um valor pessoal. A passagem de geração em geração: é assim que eu vejo as joias (...) A nossa joalharia é também muito versátil. Podemos combinar peças de diferentes coleções de uma forma única.”

Produzidas em Itália e dotadas de formas orgânicas e imperfeitas, as peças Marco Bicego refletem uma clara inspiração na natureza. “Tudo parece único e muitas vezes diferente. A simplicidade é a melhor coisa que pode haver e que se pode fazer. Muitas vezes o mais simples é o mais difícil de ser feito. Adoro a natureza que tem a imperfeição perfeita. Reinterpretamos e criamos peças que sejam reconhecíveis como sendo da nossa marca.”

Em franca expansão mundial, Marco Bicego soma cerca de 900 pontos de venda, seis lojas próprias (Verona, Milão, Budapeste, Istambul, Creta e Míconos) e seis shop-in-shop (Londres, Manchester, Tóquio, Nova Iorque e Boston). Assumindo-se como uma marca universal, a casa italiana tem conseguido chegar a diferentes culturas de igual forma. “É interessante porque vemos a mesma coleção a ser o best seller no mundo inteiro, desde a Europa ao Médio Oriente. A nossa joalharia é moderna e agrada a diversas culturas e isso faz-me muito feliz.” Portugal é um bom exemplo disso. “As mulheres portuguesas gostam muito do ouro e da tradição associada à marca.”

A David Rosas é a representante oficial da marca no país. “Começámos o negócio com a David Rosas há dez anos. Desde o início que temos tido uma ligação excelente.” Lunaria é a mais recente coleção que, mais uma vez, vem prestar homenagem à natureza. O ouro de 18 quilates e as formas orgânicas acentuam o conceito da marca. “Fui buscar inspiração à flor italiana lunaria. Adoro todas as suas imperfeições e curvas.”

Este ano Marco Bicego assinalou 15 anos de casa e o balanço que faz é extremamente positivo. “Passámos por momentos difíceis, mas têm sido anos bastante intensos e repletos de sucessos (...) Sinto-me motivado e de ano para ano vou investindo mais e mais. Faço isto não só pelo dinheiro, mas também por paixão e para poder realizar os meus sonhos. Sou um trabalhador persistente, mas acima de tudo gosto do que faço e isso é uma combinação perfeita”, conclui.