Concertos L na Ponta do Sol

Karyna Gomes é uma das 14 estreias desta edição.

O palco é o mesmo desde há oito anos: O topo de um jardim com oitenta metros de altura sobre o centro da vila da Ponta do Sol. O evento já tem tradição e público fiel. Trata-se dos Concertos L, que decorrem entre 27 de Junho e 26 de Setembro, na Estalagem da Ponta do Sol.

A exemplo de outros anos, a procura de novas tendências e de estreias absolutas é o conceito seguido pela organização, num ambiente livre de preconceitos musicais. O cartaz envolve 14 propostas, com concertos a terem lugar umas vezes à quarta-feira, à sexta-feira ou sábado.

A abertura oficial desta edição acontece com a norte-americana Weyes Blood, considerada pela imprensa internacional como uma das vozes do momento do folk experimental.

Durante o mês de julho há quatro actuações. No dia 10 de julho, chega à Ponta do Sol Karyna Gomes, diretamente da Guiné-Bissau. A brasileira Bárbara Eugénia atua no dia 17 de julho. Para apresentar o seu mais recente trabalho, “Mensagens da Nave-Mãe”, chega o extraterrestre PZ no dia 22 de julho com ritmos entre o hip-hop, o pop e a eletrónica. A terminar o mês de Julho, no dia 29, chega dos Estados Unidos a dupla THEEsatisfaction.

Em agosto a estalagem recebe mais cinco concertos. Leo Cavalcanti no dia 5, Bianca Casady & The C.I.A. no dia 12, Nuno & The End no dia 15, Júlio Resende no dia 19 e os You Can’t Win Charlie Brown, grupo lisboeta formado em 2009, no dia 26.

Vértice, do madeirense Rui Camacho, atua no dia 2 de setembro, com a apresentação de 15 canções originais, baseadas em 15 poemas de 15 poetas madeirenses. No dia 12 de setembro chega a nova-iorquina Johanna Glazza e no dia 19, o angolano Pedro Coquenão traz Batida, com a música eletrónica a misturar-se com elementos da época dourada da música angolana.

A edição deste ano termina com o quarteto português Paus, no dia 26 de Setembro. O grupo chega à Madeira depois de já se ter apresentado em vários festivais pela Europa, Estados Unidos e México, assim como em alguns conceituados palcos nacionais como Optimus Alives, Paredes de Coura e Super Bock Super Rock.

A relação entre os artistas e o público é privilegiada pela envolvente minimalista do espaço. A paisagem completa o grande cenário. O objetivo é criar uma sinergia entre o cantor e o espetador, focado na música.

A entrada nos concertos segue a mesma linha do ano anterior: Os interessados têm de enviar o seu nome para uma guest list¸ numa tentativa da organização em garantir o carácter intimista dos concertos. Este ano o consumo mínimo é de seis euros.

Pode consultar toda a informação sobre o evento no website oficial.

www.pontadosol.com