A festa do jazz!

A edição deste ano do Funchal Jazz Festival aposta em músicos premiados, entre os mais reconhecidos da atualidade.

Christian McBride by Chi Modu
Joe Lovano by Jimmy Katz
Kurt Elling by Anna Webber
Miguel Zenón by Jimmy Katz
Terence Blanchard by Jenny Bagert
Christian McBride by Chi Modu

Não falta currículo, prémios e talento aos músicos que este ano sobem ao palco do Funchal Jazz Festival. Com um historial de 15 edições (a deste ano é a décima sexta), este é um já um evento consagrado, com público fiel e importante para a promoção da Madeira.

O palco, ao ar livre, no Parque de Santa Catarina, contribui para o ambiente caloroso. As propostas musicais assentam sempre no equilíbrio entre qualidade e variedade, uma programação que deixa os organizadores “extremamente satisfeitos”. Paulo Barbosa, diretor artístico, acha difícil “destacar pontos fortes” já que o cartaz é preenchido por “uma mão cheia de vários dos músicos mais reconhecidos e premiados da atualidade”.

Durante três dias os concertos começam sempre às 21:30 horas. O festival abre a 2 de Julho, com André Fernandes, descrito por Paulo Barbosa como um “um dos músicos portugueses que mais tem dado que falar ao longo da última década”. O guitarrista apresenta-se com o seu Wonder Wheel, coletivo composto por três outros grandes nomes do jazz português: o baterista Alexandre Frazão, o contrabaixista Demian Cabaud e o pianista Óscar M. Graça, a que se junta a voz de Inês Sousa.

O segundo concerto da noite está a cargo de Joe Lovano, descrito pelo diretor artístico do Funchal Jazz como “um verdadeiro titã do saxofone tenor e do jazz da últimas quatro décadas”. Venceu um Grammy, tem mais de 30 álbuns e Paulo Barnosa considera-o “incontestavelmente, o mais premiado saxofonista da atualidade”.

A segunda noite tem abertura a cargo do jovem saxofonista Miguel Zenón. O segundo concerto está a cargo de Kurt Elling, “a voz masculina do jazz de hoje”, nas palavras de Paulo Barbosa.

Na terceira noite o festival abre com Christian McBride, vencedor de três Grammy e considerado, quase todos os anos, pela crítica o contrabaixista do ano. Além de dozes álbuns em seu nome, McBride é o mais requisitado contrabaixista das últimas décadas, “como o comprova a sua participação em mais de trezentas gravações!”, lembra Paulo Barbosa.

A fechar o festival estará o trompetista e compositor Terence Blanchard, vencedor de 4 Grammy e de vários outros prémios. Blanchard é um dos músicos que vem ao Funchal apresentar “novos projetos e novos discos que acabam de ser editados”. Os outros, explica Paulo Barbosa, são Joe Lovano e Kurt Elling.

O festival não fica completo sem as jam sessions que decorrem após os concertos no Scat Music Club & Restaurant. Estão a cargo do Ricardo Toscano Quarteto, um grupo de músicos cujas idades entre os 21 e os 24 anos, que, segundo Paulo Barbosa “têm vindo a destacar-se como verdadeiros fenómenos de maturidade musical”.

O festival começa com um concerto de apresentação já a 27 de Junho. É uma abertura a cargo do Madeira Jazz Collective, uma estreia absoluta de um grupo “constituído por alguns dos mais conceituados praticantes do jazz na Madeira, todos eles professores do conservatório local”, explica Paulo Barbosa.

A organização espera que o público adira “não apenas pela qualidade e pela natureza tão diversificada deste cartaz”, mas também porque este ano houve mais tempo para organizar e promover o festival.

Em 2014 foram ao Parque de Santa Catarina, nas três noites, um total de 6 mil pessoas. Um número “francamente satisfatório para um festival desta natureza numa cidade da dimensão do Funchal”. Mas Paulo Barbosa não esconde a “fundamentada esperança” de ter mais público este ano.

Sabe que pode ir ao Funchal Jazz Festival com a Essential Madeira Islands? Saiba como aqui.

www.funchaljazzfestival.org